Candidíase Feminina

Candidíase Feminina

A candidíase feminina, também conhecida por monoliase Vaginal, é uma infecção ocasionada pelo fungo da Cândida ou Monília, que causa um corrimento vaginal espesso, grumoso e esbranquiçado, acompanhada geralmente de irritação no local.

Muitas mulheres que fazem uso de contraceptivo oral, que são à base de hormônios, desenvolvem a candidíase, já que o aumento do estrogênio é uma das condições ideais para o desenvolvimento do fungo.

Pelo mesmo motivo, a doença ataca com mais frequência mulheres grávidas, pois nessa situação, seus níveis hormonais estão altos.

O que é Candidíase Feminina?

Além disso, na gravidez a região vulvovaginal torna-se abundante em glicogênio, criando um ambiente propício à proliferação da cândida. Há, ainda os fatores externos que põem em desequilíbrio a flora vaginal, como por exemplo, o uso de roupas muito apertadas ou que impeçam o corpo de respirar (como as calcinhas de material sintético).

Estes fatores aumentam a umidade na região e com isso, estimulam o crescimento do fungo.

Sintomas da Candidíase na Mulher

Na mulher, a doença causa uma inflamação na região íntima, provocando coceira, corrimento, inchaço, vermelhidão, lesões e ardência ao urinar ou durante o ato sexual.

Ocorrendo durante a gravidez, a doença não provoca alterações no feto, mas, deve ser tratada antes do nascimento, pois pode ocorrer uma transmissão durante o parto, o que provocará a doença no recém-nascido.

A candidíase não é uma doença sexualmente transmissível, pois ela normalmente ocorrer mesmo sem o contato íntimo.

Alguns sintomas são comuns na candidíase feminina, porém nem sempre ocorre todos eles, são eles:

  • Coceira vaginal;
  • Ardência na região da vulva, próximo à entrada da vagina;
  • Leve inchaço dos grandes lábios vaginais;
  • Aumento de corrimento branco e espesso.
  • Ardência ao urinar;
  • Feridas na região vaginal;
  • Pele rachada na região próxima à vulva;
  • Dor durante a relação sexual.

E o fungo normalmente vive em equilíbrio com o organismo além de no intestino também em outras partes do corpo, como por exemplo na flora vaginal, porém assim, quando a resistência do organismo cai ou quando a resistência vaginal está baixa pode ocorrer a multiplicação do fungo e a manifestação dos sintomas da candidíase feminina.

Estudos mostram que alguns fatores são facilitadores dessa micose:

  • Uso prolongado de antibióticos
  • Em alguns casos a gravidez, pode desencadear a infecção;
  • Pessoas com diabetes e outras doenças ou infecções (por exemplo, pelo vírus HIV);
  • Pessoas com deficiência imunológica;
  • Medicamentos como anticoncepcionais e corticoides;
  • Relação sexual desprotegida com parceiro que esteja com candidíase peniana;
  • Uso de vestimentas inadequadas com roupas apertadas e biquínis molhados;
  • Usar lycra e roupa de academia que aumentam a temperatura vaginal propiciando um ambiente para o aumento da candida albicans;
  • Duchas vaginais em excesso.

Entre 20% a 25% dos casos de corrimentos genitais de natureza infecciosa têm como causa a Candidíase. Diz-se que 75% das mulheres têm essa infecção pelo menos uma vez na vida.

As mulheres podem ser contaminadas por homens?

As mulheres também podem ter infecções fúngicas através de contato com homens contaminados com candidíase peniana.

Para minimizar o risco de transmitir a infecção para um parceiro, é geralmente recomendado que você se abstenha de atividade sexual até que todos os seus sintomas cessem .

Diagnóstico da Candidíase Feminina

Tenha em mente que conhecer o diagnóstico correto e realizar o tratamento adequado é a forma mais eficaz de eliminar a candidíase. Após reconhecer se está com Candidíase, combate-la e saber como preveni-la.

É necessário um exame clínico, para diagnosticar a candidíase feminina, pois os sintomas podem ser semelhantes a um período de fluxo menstrual. Uma das formas de diagnosticar a candidíase e através do exame exame microscópico,  Papanicolau.

O fungo causador candida albicans, causador da candidíase, pode ser encontrado através da raspagem do canal vaginal e colo do útero para análise laboratorial, porém a presença do fungo no laudo não significa que a paciente tenha a candidíase. Por isso, pode ser necessário a bacterioscopia que consiste em um  exame em que a secreção vaginal é analisada em laboratório para auxiliar no diagnóstico.

Normalmente causada pelo fungo Candida Albicans, a doença que pode acometer qualquer parte do corpo, porém atinge com mais frequenciae os órgãos genitais gerando grande incomodo como corrimento branco, coceira vaginal, ardência ou dor vaginal ao urinar, vermelhidão, dor durante as relações sexuais e corrimento branco e espesso.

A candidíase não é considerada uma DST (doença sexualmente transmissível), pois o fungo vive naturalmente no organismo e também na flora vaginal e só se torna um incomodo quando se prolifera de maneira desenfreada.

Diagnóstico mais comum é realizado em consultório ginecológico, onde o profissional com base nas queixas da paciente,  identifica o tipo de corrimento característico através de um exame clínico e de acordo com os sintomas presentes e também solicitando eventuais exames adicionais, pode detectar a doença.  

Tratamento da Candidíase Feminina

É comum, a prescrição do uso de antimicóticos via oral, além da utilização de creme vaginal de uso tópico. Todo tratamento da candidíase feminina deve ser indicado por um especialista, pois cada doença possui suas particularidades.

Tratamento Caseiro da Candidíase Feminina

Uma ótima estratégia para curar a candidíase é tomar água com limão, sem adoçar, durante o dia, mas além disso colocar iogurte natural dentro da vagina é uma outra ótima estratégia natural, que tem ótimos resultados.

Um ótimo tratamento caseiro para candidíase vaginal é lavar a região íntima com água e vinagre, na proporção de 4 colheres de vinagre para meio litro de água. Veja também um ótimo remédio natural em: Lactobacilos para infecção vaginal.

Além disso, é também importante adotar alguns cuidados para evitar a recorrência da candidíase vaginal, como:

Lavar e secar bem a região íntima antes de dormir;Utilizar roupa pouco apertada e de algodão;Dar preferência para a ingestão de probióticos e lactobacillus, como iogurte;Dormir sem calcinha;Fazer a higiene íntima com gel vaginal com ph entre 3, 8 e 4, 5, evitando todos os produtos e sabonetes com químicos.

Também é importante evitar alimentos ricos em carboidratos, gordura e açúcar, pois são a principal fonte de alimento do fungo causador da candidíase vaginal.

A Vaginose Bacteriana (VB) é outro tipo de infecção vaginal, que pode ser confundida com candidíase. Como o tratamento da candidíase é diferente do tratamento de VB, é importante saber qual infecção você tem. O fluxo vaginal da infecção causada por fungos (candidíase) não possui odor e apresenta um corrimento branco amarelado e espesso. Já o fluxo com infecção causada por bactérias (VB) possui odor fétido característico, semelhante a peixe podre, e tem um corrimento branco-acinzentado. Por fim, o fluxo vaginal normal é caracterizado na maioria dos casos com a presença de corrimento transparente sem cheiro, ou com odor não tão forte.